101kv

Por Rafael Poci Déa

Desde 1995, a Chevrolet S10 é vendida no Brasil. Após estrear com as carrocerias cabine simples, estendida e dupla – incluindo a badalada versão Executive com o propulsor Vortec V6 4.3 –, a picape média recebeu a segunda geração em 2012, e ela tem sido atualizada ao longo dos anos. As principais mudanças foram visuais, com apresentação de novas versões e de séries especiais. A partir de 2018, a tecnologia CPA (sigla para Centrifugal Pendulum Absorber) otimizou o acoplamento da transmissão automática em baixos giros, reduzindo as vibrações e o consumo de diesel.

Aterceira geração está prevista para chegar no próximo ano, mas a atual, no mercado de usados, é uma boa alternativa para quem precisa carregar peso e não quer se preocupar com manutenção. A configuração LTZ (sigla para Luxury Touring Z) modelo 2018 é cotada a R$ 165.112 na tabela Fipe. O motor 2.8 16V turbodiesel é conectado à transmissão automática sequencial de seis marchas, produzindo 200 cv de potência e 500 Nm de torque.

“Faço um uso misto, na cidade e em longas viagens, de mais de 1.300 quilômetros a partir de São Paulo”, conta Hélio Perini, um dos proprietários consultados pela reportagem. Apesar do porte avantajado para trafegar na cidade, a versatilidade é um dos atrativos da picape, que “serve para ir ao trabalho ou a lugares de difícil acesso sem preocupações”, diz Victor Bednarski, dono de S10.

Para quem faz uso off-road, a S10 LTZ a diesel ainda oferece tração 4×4, bem como ângulos de entrada de 30,7º, de saída de 16,1º e uma altura livre do solo de 22,8 cm.

A manutenção da S10 não costuma apresentar muitas complicações, e, o melhor, não faltam peças de reposição. Mas Francisco Carlos de Oliveira, da Oficina Stilo Motors, dá uma dica importante: “Não desligue o motor logo após estacionar; o turbocompressor continuará funcionando e a falta de lubrificação diminuirá a vida útil dele”. O profissional ainda alerta que indícios de ferrugem na cruzeta do sistema de tração costumam gerar vibrações.

+ Compra do ano 2024 – Picape Média: Chevrolet S10
+ Chevrolet S10 Z71 ganha versão para proteger pantanal; entenda

Divulgação
Divulgação
Divulgação

O acabamento não é o ponto forte da S10, que também já mostra o peso da idade nas formas do painel e na cental multimídia, mas sua valentia e durabilidade agradam

Com suspensões robustas, a S10 não toma conhecimento das irregularidades do nosso asfalto. “Nunca tive um problema mecânico sequer”, conta Bednarski, enquanto Perini reclama apenas que a calibração do conjunto deixar passar um pouco de aspereza. “Minha recomendação é, a cada 50 mil ou 60 mil quilômetros, observar a existência de folgas nos pivôs, na barra axial e nos terminais de direção, a fim de evitar acidentes”, alerta o mecânico especialista.

Ambos os proprietários concordam a espeito da versatilidade e da resistência da S10. “É a melhor relação entre conforto, porte e posição de dirigir, com cabine ergonômica, mesmo não oferecendo a regulagem de profundidade da coluna de direção”, diz Perini.

Pelo mesmo preço

Nissan Frontier Attack 4×4 2020
R$ 165.452

Divulgação

A distância entre-eixos é de 3,15 m, mas a rival perde na capacidade da caçamba (1.054 litros). Debaixo do capô, o motor 2.3 16V tem 190 cv e 450 Nm. Conta com a ajuda de duas turbinas, e vem casado ao câmbio automático de seis marchas.

Fiat Toro Volcano 2.0 16V 4WD 2023
R$ 165.338

Divulgação

A picape monobloco tem uma condução semelhante à de um carro de passeio, enquanto a transmissão é automática de nove marchas. São 170 cv e 350 Nm.

Jeep Compass Longitude 2.0 diesel 4×4 2021
R$ 166.333

Divulgação

Uma opção familiar com bom isolamento acústico e valentia da tração 4×4. São 170 cv e 350 Nm, além de suspensões traseiras independentes e um porta-malas com 410 litros de capacidade.

Chevrolet S10 LTZ 2.8 TDI 4×4

Chevrolet S10 LTZ 2018 R$ 165.112

Motor: quatro cilindros em linha 2.8, 16V, turbo com geometria variável, injeção direta, duplo comando de válvulas Combustível: diesel
Potência: 200 cv a 3.600 rpm
Torque: 500 Nm a 2.000 rpm
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo rígido com molas semielípticas (t)
Freios: discos ventilados (d) e tambores (t)
Tração: 4×2, 4×4 e 4×4 com reduzida
Dimensões: 5,361 m (c), 1,874 m (l), 1,825 m (a)
Entre-eixos: 3,096 m
Pneus: 265/60 R18
Caçamba: 1.061 litros
Tanque de combustível: 76 litros
Peso: 2.042 kg
0-100 km/h: 10s3
Velocidade máxima: 180 km/h
Consumo cidade: 8,7 km/l
Consumo estrada: 10,6 km/l
Emissão de CO2 212g/km
Consumo nota C
Nota do Inmetro: D Classificação na categoria: C (Picape)

Divulgação

101kv Mapa do site